The use of technology in education broadens and promotes new ways of learning and teaching

If we pull through the memory to try to remember what the class was like in our school days, images of a classroom where the teacher only had the blackboard as a tool and students, notebooks and books on the wallets will easily appear. The scenario is certainly very different from the current one, in which teachers and students have technological innovations all the time to facilitate the process of teaching and learning.

The use of technology in education has been no longer a novelty for some time, and since computer technology has been introduced into students’ daily lives, the emerging digital tools increasingly enhance new learning. And technology offers not only more dynamic ways to work with content. It promotes new ways of learning, allowing students to take a much more critical and active stance in the development process.

For parents, who were born and learned in a world of little or nothing technological, such novelty generates a certain admiration, but also causes apprehension. We are analog parents with digital children and, to maintain closeness to school life and contribute to the learning of our children, we can not remain indifferent to so many changes. It is necessary to decipher this new world.

Image result for educação digital

How to overcome resistance
Leaving the resistance aside is the first step. The speed with which technological innovations arise can sometimes bring difficulties of understanding and adaptation. It is therefore necessary, as a stimulus, to see the full pedagogical potential and the innumerable advantages that these resources offer. Moreover, technology, when well used, promotes an approximation between family and school, allows more dialogue and helps to build new bonds between parents and children. By showing interest in learning and unveiling a new universe, parents contribute to the learning process of their children because they encourage them to study and learn more and more.

Waiting for the bulletin at the end of a cycle to see that the student did not learn is something that does not align more with the demands and possibilities of our time. The technological tools that help in the process of teaching and learning bring countless benefits for teachers and students and also advantages for us parents. Some of these innovations allow, for example, to follow the children’s school development in a constant and precise way. Paper newsletter just at the end of the bimester stayed in the past! Information such as notes, test dates and events are available in smartphone and tablet applications and in portals, allowing us to take a much broader view of everything that pertains to our children’s school universe.

Image result for educação digital

Another problem that the technology applied to teaching ends up solving is the question of the presence of parents in the school environment. If schools find it difficult to bring parents to face-to-face meetings, technology can take them to school, connecting educators, students, and legal guardians, both to disseminate knowledge and to improve the relationship. Maintaining the flow of communication from school to parents is critical. Through digital applications and channels – such as social networks – this communication, today, is a two-way street that allows the exchange of messages between school and family in a simple, practical and safe way, bringing advantages and facilitating the life of all involved.

That is, when it comes to the technological resources offered by schools, we must take advantage and exploit them to the fullest, remembering that this will facilitate the family’s daily life and also build new bonds with our children. By showing interest in the activities and resources available, we become familiar with the new tools and, by way of example, we encourage our children to do the same.

Image result for educação digital

If you have small children, you have probably wondered what the use of electronic devices is for children. For the pedagogue and master in education at the University of São Paulo, Wagner Antonio Junior, the question is complex and several points should be considered by parents with regard to technology x children.

The first one is the child’s age. “Technology does not replace the experiences necessary for human development, such as the manipulation of objects by babies, the drawing of the child in a drawing, contact with different colors, textures and flavors, and reading and writing, which are essential for orality. Therefore, it is important to vary the supply of possibilities, especially for small children, who need to play in different ways, not just with the game of the cell phone, “he argues.

Another point is the exposure time of children to the cell phone, tablet or computer. “Establishing a daily routine is essential for the child to grow self-control and have good results at all stages of life, from school to work life. Therefore, the ideal is to establish an average time for each of the activities, always intercalating the use of computers, tablets or cell phones with other activities, such as sports, manual activities and even homework. All this is important for the full development of the child, “explains the pedagogue.

Image result for educação digital

Ethics in the digital world
Wagner also addresses a very important issue: the fact that new generations need to learn to live in the digital age in an ethical and secure way. “It’s important for parents and school to be together. Digital culture is everyone’s right, but it involves responsibility and the first one is to guide children so they can go where they can go and how to use digital tools without harming others and themselves, “he says.

The role of the school and parents is to mediate this relationship until the student is aware that technology is important but can cause serious harm if it is not viewed with ethics and responsibility. Guidance is the best route, since most of the time parents are working and away from their children. “They need to understand the risks to developing digital autonomy,” he says.

Every day, we are bombarded by thousands of information that can be shared with thousands of people with just one click. But this facility must be accompanied by attention. Checking the information before disseminating it is not only a care, but a matter of respect and responsibility, since you may be moving forward a lie. So, if it already seems difficult for parents, what to do to protect children from false content?

“The first step is to check the origin of the news,” says lawyer Fernando Peres, a specialist in Digital Law. We should always check the source, that is, the person or institution responsible for the publication, and evaluate their arguments, “he reinforces.

Image result for educação digital

Peres points out that there are also blogs and pages on social networks that are created for the purpose of disseminating false information. “The authors often create the pages to profit from viewing digital advertising on the pages, ignoring and disregarding the rights of victims,” ​​he warns.

At the speed of light
False information shared on the internet reaches immeasurable proportions and can cause irreversible damage. “This false information, when they reach a large number of views and shares in social networks, gain relevance and end up convincing even the most aware that it is true,” recalls the lawyer.

A simple tip is to put the news on search engines such as Google, and check if there are other sources of credibility. In addition, there are websites that are dedicated to unveil rumors, such as E-Farsas and Rumors-Org, good tools to protect children from false content. Access, know, and guide your child to verify these sources before sharing.

Image result for educação digital

Sharing false information is a crime.
When a publication exceeds the limits of freedom of expression and attacks the honor of other persons or institutions, it may characterize, for example, a crime of Defamation, provided for in Article 139 of the Penal Code. Therefore, not only the person who first creates or publishes the false news, but even those who shared, can respond to the process.

“If someone spreads false information, accusing someone of committing a crime, it may still be considered the crime of Slander, which is registered in Article 138 of the Penal Code,” explains the lawyer.

You can not take the risk. “Among the crimes against honor provided for in our Penal Code, in Article 140, there is also the crime of Injury, which is characterized when one offends the dignity, race, color, ethnicity, religion, conditions for the elderly or disabled, “explains Peres.

He explains that the victim, feeling offended with information that has been wrongly shared, and has reached its time, can seek help from justice even for redress for moral damages.

In the school environment, cyberbullying can affect students‘ learning, coexistence and behavior
Intimidation, humiliation and other types of violence among children have always existed, especially in the school universe. With the popularization of smartphones and social networks, often without supervision and parental control, bullying has evolved and gained new status: cyberbullying. The practice has been treated as an even more serious conduct, since its damages are much greater, mainly because they involve the publication of ridiculous content on the internet, which has global reach and where complete removal of material is practically impossible.

Such acts of psychological, intentional and repetitive violence, practiced by individuals or groups, with the purpose of intimidating and assaulting, cause pain and anguish to the victim. As in most cases the practice originates or takes place in a school environment, it ends up affecting students’ learning, coexistence and behavior. In many schools, the subject is of concern, causing managers and teachers to work with students to raise awareness, prevention, diagnosis and fight against cyberbullying.

According to experts, the ideal is that this type of work be done using mechanisms and tools that promote dialogue and behavior change. The school can maintain democratic spaces, create talk wheels and organize lectures. Every moment that allows students to talk about problems and situations they face in everyday school life – and beyond – is a great opportunity to make children and young people value healthy coexistence, empathy and solidarity with others. Discussions of this nature usually improve the perception of the other and the commitment to the collective. And when it comes to virtual bullying, students must also reflect on the perpetuity of content posted on the internet.

The use of digital technology has revolutionized various areas of knowledge – and education has not been left out of this process. Since World War II, the use of technology for educational training has always been present in the educational system, but today the relationship between education and technology is deepened, allowing possibilities never seen before in history.

Educators from all over the world have sought ways to implement methodologies that fully develop the student. Many of these methods make use of modern technologies capable of revolutionizing education completely.

Do you want to innovate in your institution’s education system? So, understand a little more about the relationship between education and technology, and how you can offer quality education!

Image result for educação digital

A brief history
Although the technology initially refers to any technical or scientific knowledge in carrying out a work, the earliest records on the use of electronic technology resources in the act of teaching refer to the training of military personnel in World War II, through resources audiovisual services.

Already in the 1960s the mass communication revolution took place, especially with the increase in the distribution of TVs around the world, a valuable vehicle for education and culture. Taking advantage of this, TV Cultura de São Paulo, in partnership with the São Paulo State Secretariat, launched a television program to help candidates for admission to the gym (currently Elementary School II).

The production of content in these tools, however, was far from the hands of educators, who were only passive recipients of information. This picture began to change in the 1970s and 1980s with the advancement of information technology. The creation of new machines and other devices was able to store and process user data with greater complexity.

Since then, information technology has grown in terms of capacity, resources, devices and software, making the possibilities of production and transmission of contents in the teaching-learning process unlimited.

The relationship between education and technology today
The use of information technology has penetrated into all spheres of society as a means of facilitating both day-to-day tasks and performing highly complex activities. The current generation is born into a digital world so that the dissociation of personal, academic and professional life from new technologies becomes unproductive, unfeasible and meaningless.

Image result for educação digital

Technology has collaborated with education from the design of distance learning models (EADs) to the implementation of interactive classroom tools that support or even replace traditional teaching methods. Such tools can encompass digital media, portable devices and the internet itself.

The importance of technology for learning
Educators always seek the integral development of their students from contents that structure the academic and social education of the student. Technology enables knowledge to be connected to practical reality through videos, music, electronic games and other interactive tools. With this, the information becomes much more available.

Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida, a doctoral student at the Postgraduate Program in Education at PUC in São Paulo states that many schools do not take full advantage of the potential that technology can offer to teaching. Therefore, institutions that take advantage of these resources come out ahead, making the knowledge provided in the classes more practical and dynamic.

Image result for educação digital

The importance of technology for your institution
The managers of educational institutions do not deal only with academic issues. There are several other tasks that require time and resources, such as bureaucratic and administrative obligations involving the financial sector, suppliers, unions, hiring of teachers and employees, and many others.

Technology can make these tasks easier, more streamlined and more organized, keeping the school up-to-date and ensuring greater chances of attracting new students, thereby reducing school drop-out.

For example, management software models help managers to manage the various sectors of the school, such as the academic framework related to application and student enrollment, financial department, human resources, material inventory control, and modules capable of managing the various processes of the institution.

Innovation through the use of technology
Several initiatives in the use of technology have made a difference in the learning of adults, young people and children. Eduk, for example, offers online classes in a variety of disciplines. Using audio-visual resources, lessons show, in practice, how to apply the contents taught.

The Experimental Gymnasium of New Educational Technologies (GENTE) project offers new technological tools to innovate in the education model. In the project, students and teachers use tablets and smartphones to access a collaborative platform that holds all the support material for classes.

In many schools, teachers have inserted electronic tools into their classes without the need for a major structural change in the institution’s teaching system. For example, Google Earth can be used in geography classes to support teaching on spatial orientation, map reading, relief, hydrography, among others.

Portuguese teachers have used electronic text editors, such as Word, to work on spelling and syntactic issues, as well as rewriting versions of textual genres in text production classes. Math teachers can use spreadsheets to teach calculations and graphing.

In the field of biological science and nature studies, the possibilities are also endless with the use of 3D videos and animations. History classes are richer by using sites such as Color of Culture, where students explore African culture through a variety of media such as music, video, and games.

Students can even visit museums around the world in art classes, without leaving their chairs, accessing the Google Art Project. And the most interesting is that most of these tools are available for free on the internet.

The relationship between education and technology will become ever closer as new tools and resources are created and improved. With this, education is expected to become more dynamic and connected in the future! Like the information and want to stay current on how new technologies can make your educational institution ever more modern?

O Desenvolvimento Tecnológico

Colocar Málaga no mapa da revolução digital é um objetivo que não pode ser alcançado apenas com o esforço isolado da Câmara Municipal, da Diretoria ou de um punhado de empreendedores visionários. Esse é um desafio coletivo e o progresso é impossível sem envolver os cidadãos, sem educar as novas gerações, sem incentivar a pesquisa científica e sua aplicação no mundo real ou sem infectar os setores tradicionais da economia. É por isso que os Evolution Awards, organizados pelo Sur.es e BBVA, distinguem pessoas, empresas, instituições e iniciativas de diversos campos, mas com um denominador comum: seu impulso pelo desenvolvimento tecnológico da cidade.

Uptodown, Taalentfy, DHV Technology, Wake Up Infant School e o Grupo de Pesquisa em Engenharia de Comunicações da Universidade de Málaga são os vencedores desta terceira edição do Evolution Awards, concedido pelo SUR e BBVA com a colaboração da cidade de Málaga tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado, o Conselho da Andaluzia, Corporação Tecnológica da Andaluzia, Esic, Fundação Cruzcampo, a Câmara de Comércio de Málaga e o Museu do Automóvel e da Moda. Precisamente, este último foi palco da noite de ontem da cerimônia de premiação, que reuniu mais de 150 convidados.

Image result for educação e tecnologia

Esses prêmios são uma conseqüência natural do compromisso do Diario SUR de fazer parte ativa dessa revolução digital que está transformando a sociedade e a economia de Málaga. Uma aposta que se reflete tanto no nível das informações quanto na organização dos fóruns de discussão e desses prêmios. O diretor da SUR, Manuel Castillo, enfatizou que os vencedores têm duas qualidades em comum: por um lado, ter sido capaz de criar “um ambiente capaz de estimular a ilusão, o talento e a capacidade de gerar idéias que podem parecer loucas em um momento. princípio ». Por outro, a vontade de “mudar as coisas e tornar o mundo um pouco melhor”, que a SUR também compartilha.

O diretor do BBVA para Málaga e Melilla, Javier Lebrón, refletiu sobre o “momento único” em que vivemos graças à transformação tecnológica, que afeta não apenas o ambiente de negócios, mas “a maneira como interagimos; à saúde, à educação, à agricultura … ”. E também ao setor bancário. Nesse sentido, Lebrón disse que o BBVA está na “cabeça da transformação tecnológica global”.

Como prólogo da cerimônia de premiação, os participantes ouviram as reflexões de Juan Luis González, consultor da agência de publicidade Somos R *, CEO da Orange3 e colaboradora da Esic, sobre o novo marketing e o novo consumidor. O especialista argumentou não para diferenciar o marketing digital do marketing, mas para integrar “o on” e o “off” porque “não precisa haver uma estratégia diferenciada” tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado.

Image result for educação e tecnologia

Os fundadores da Uptodown foram os primeiros a subir ao palco para receber seu prêmio. Criado em 2002, este portal que facilita o download seguro de “aplicativos” e programas é hoje o maior “mercado” do Android fora do Google. Seu crescimento é creditado pela explosão de ‘smartphones’ e internacionalização, mas isso não perdeu sua filosofia de oferecer o conteúdo mais completo e atualizado sem perder o foco na experiência do usuário. Méritos que o tornam digno do Prêmio Evolution na categoria “Novos modelos de negócios vinculados ao desenvolvimento tecnológico”.

Uma creche pode fazer parte da revolução digital? O júri do Evolution Awards não teve dúvidas no caso do Wake Up, destacado na categoria ‘Aplicação de tecnologia no campo da pedagogia’. E é que esse centro de educação infantil se esforça para despertar nos pequenos a curiosidade sobre como as novas tecnologias funcionam, para que, no futuro, elas sejam mais do que meros consumidores.

O terceiro prêmio foi para Taalentfy, pela “Adaptação de um modelo clássico à sociedade da informação”. Esta jovem empresa aplica inteligência artificial à busca de emprego e recebeu em novembro passado o prêmio de melhor projeto de assistência social no mundo hispânico em Nova York no New York Summit 2017. Agora tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado, o lançamento de sua versão comercial está finalizado.

Image result for educação e tecnologia

A DHV Technology foi premiada na categoria “Inovação para a sustentabilidade”. É uma empresa especializada na construção de painéis solares para alimentar os sistemas integrados nos satélites que orbitam o planeta Terra. Instalado no PTA, já possui vinte funcionários altamente qualificados.

Finalmente, na categoria ‘Colaboração Universidade-Empresa’, foi reconhecido o Grupo de Pesquisa em Engenharia de Comunicações da UMA, que em seus 25 anos de existência desenvolveu um intenso trabalho de pesquisa com projetos baseados em pesquisa básica e pesquisa. transferência de conhecimento com empresas locais.

O que é tecnologia vestível? Antes de começarmos a trabalhar e falar sobre os resultados que a Wearable Technology terá, primeiro explicaremos o que é.

Tecnologia vestível vem da palavra “desgaste”, que significa “vestir”; portanto, eles chamam de “tecnologia vestível”. Poderíamos dizer que é uma tecnologia de uso diário que usamos como se fosse uma peça de vestuário tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado. Vamos começar a falar sobre os dispositivos que essa tecnologia abrange.

Image result for educação e tecnologia

Vamos começar com a realidade aumentada: com essa tecnologia, podemos misturar informações virtuais com a realidade física em tempo real. Essa realidade aumentada é posteriormente integrada a dispositivos como o Google Glass (óculos inteligentes do Google). Eles funcionam graças a mecanismos de Realidade Aumentada, como Vuforia ou Layar.

Outro dispositivo de realidade aumentada são os Space Glasses, que são outros óculos inteligentes, só que esses também são em 3D.

Continuamos com a pulseira inteligente ou MYO que nos permite controlar o computador ou telefone a partir do braço, já que é onde ele é colocado.

Finalmente, vamos falar sobre relógios inteligentes ou relógios inteligentes. Eles interagem com nosso telefone celular através de uma conexão bluetooth para fornecer informações mais rapidamente.

Estes dispositivos são basicamente utilizados na área da saúde e medicina. São produtos como quantificação de pulseiras como Nike, Fuelband ou Fitbit que medem nossa frequência cardíaca ou monitores de glicose como Medtronic.

Eles são usados ​​mais nessas áreas porque agora estamos na sociedade de bem-estar social e há uma crescente preocupação com a saúde e uma vida saudável e queremos cuidar mais de nós mesmos tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado. Com a ajuda dessa tecnologia, podemos melhorar nossa saúde, pois eles nos fornecem informações como sinais vitais ou desempenho: dados que podem ser muito úteis para nossos médicos.

Image result for educação e tecnologia

Até agora, estávamos todos familiarizados com tablets, smartphones, ipod, laptop, e-reader, etc. A sociedade está avançando e com a tecnologia, se há dez anos eles teriam nos dito que as crianças teriam smartphones e tablets em que não acreditávamos, a tecnologia bem vestível está praticamente aqui e teremos que recebê-lo de braços abertos. A partir de agora, “usaremos” essa tecnologia todos os dias e seus dispositivos que nos ajudarão a melhorar nossas vidas diárias.

Estes dispositivos são basicamente utilizados na área da saúde e medicina. São produtos como quantificação de pulseiras como Nike, Fuelband ou Fitbit que medem nossa frequência cardíaca ou monitores de glicose como Medtronic.

Eles são usados ​​mais nessas áreas porque agora estamos na sociedade de bem-estar social e há uma crescente preocupação com a saúde e uma vida saudável e queremos cuidar mais de nós mesmos. Com a ajuda dessa tecnologia, podemos melhorar nossa saúde, pois eles nos fornecem informações como sinais vitais ou desempenho: dados que podem ser muito úteis para nossos médicos.

Ao longo da história, a técnica desempenhou um papel central na configuração da vida material e cultural dos povos. Em grande medida, o progresso humano baseia-se na invenção de procedimentos e mecanismos para resolver problemas específicos da vida cotidiana. Desde as primeiras técnicas até acender o fogo, até as máquinas complexas do mundo moderno, os seres humanos se beneficiaram de desenvolvimentos técnicos cuja emergência e refinamento gradual marcaram profundamente os modos de organização social, bem como as tradições e o patrimônio cultural da civilização tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado.

Image result for educação e tecnologia

No entanto, compreender a natureza do desenvolvimento tecnológico não é uma tarefa fácil. Isso ocorre porque o estudo do papel desempenhado pela técnica na história não se esgota no exame da base teórica da construção de máquinas ou no exame da operação de algumas máquinas específicas. De fato, a técnica também é resultado de uma dinâmica complexa na qual intervêm fatores políticos, culturais e econômicos muito diversos. Além disso, a técnica não é apenas um fenômeno que ocorre na história, mas é, por sua vez, um fator decisivo da mudança histórica. Nesse sentido, para entender a natureza do desenvolvimento tecnológico, é necessário considerar tanto a questão das condições sociais de aparecimento dos desenvolvimentos técnicos quanto o problema de seu impacto na sociedade e na cultura.

Vista dessa perspectiva ampla, a história da tecnologia inevitavelmente suscita preocupações com a interpretação de seu desenvolvimento ao longo do tempo: é possível projetar um modelo capaz de explicar as mudanças tecnológicas e seu impacto nas sociedades? Existe algum padrão que governou o desenvolvimento da tecnologia no curso da história? Faz sentido falar sobre uma “lógica do desenvolvimento tecnológico”?

Em princípio, é tentador aplicar modelos de desenvolvimento que foram amplamente debatidos em relação ao desenvolvimento científico no campo da tecnologia. Na técnica, como na ciência, existe um certo consenso sobre a natureza progressiva de seu progresso. Além disso, embora o desenvolvimento tecnológico seja um processo de longo prazo que remonta às origens da espécie humana, desde o Renascimento as relações entre ciência e tecnologia foram fortalecidas a ponto de hoje constituírem áreas de atividade humana quase inseparável Como Ladrière ressalta, a tecnologia antiga “se desenvolveu muito lentamente, em uma base que parece ter sido essencialmente prática” tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado, enquanto o típico do desenvolvimento tecnológico moderno é que sua evolução é cada vez mais rápida, cada vez mais sistemática, cada vez mais mais consciente, devido à “estreita relação que se estabeleceu, nos últimos dois séculos, entre ciência e tecnologia” 1. A ciência (assim como a técnica) se desenvolve muito lentamente durante a maior parte da história, parece decolar desde o final do Renascimento e experimenta uma forte aceleração nos últimos duzentos anos. Seria de esperar, portanto, que a lógica do desenvolvimento da ciência e da tecnologia fosse pelo menos parcialmente semelhante e que o entendimento da lógica do desenvolvimento científico nos desse luz para entender a natureza de seu irmão gêmeo, o desenvolvimento tecnológico.

Related image

No entanto, a natureza do desenvolvimento científico tem sido interpretada de maneiras muito diferentes e dificilmente compatíveis entre si. De acordo com a reconstrução exaustiva realizada por Losee, duas teorias principais do progresso científico levaram à discussão da filosofia da ciência durante o século passado. Por um lado, existem teorias do progresso científico como incorporação. Essas teorias traçam modelos de desenvolvimento cumulativo segundo os quais a ciência aumenta gradualmente a precisão e o escopo do conhecimento, graças às contribuições sucessivas que recebe ao longo do caminho, em uma dinâmica semelhante à “confluência de correntes tributárias para formar um rio”. Por outro lado, existem as teorias do progresso como mudança revolucionária. Essas teorias traçam modelos descontínuos de desenvolvimento segundo os quais a ciência se desenvolve graças a sucessivos episódios de ruptura que introduzem novas formas paradigmáticas de ver o mundo ou, em outras palavras, graças a sucessivas revoluções capazes de causar “mudanças que causam impacto na prática científica subsequente ”2.

Esses modelos, embora pareçam suscitar uma dicotomia aguda entre duas interpretações particulares da história da ciência, na realidade correspondem mais geralmente a duas maneiras possíveis de entender todos os tipos de transformações históricas. Diante de processos de mudança em períodos prolongados, o intérprete sempre pode perguntar se esse ou aquele desenvolvimento é devido a modificações graduais contínuas (como a formação de um recife ou a erosão de uma cordilheira) ou mudanças repentinas e turbulentas que ocorrem apenas ocasionalmente (como a erupção de um vulcão ou a devastação de uma costa devido a um tsunami). Os conceitos de evolução e revolução estão, portanto, disponíveis como ferramentas úteis para explicar processos históricos de amplo escopo. Quando aplicamos esses conceitos à pergunta sobre a natureza do desenvolvimento tecnológico, a questão é colocada nos seguintes termos: A técnica se desenvolve de maneira revolucionária ou evolutiva? Progride com saltos descontínuos repentinos ou com modificações graduais graduais?

Para explorar esta questão tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado, na próxima seção, revisaremos sucintamente as interpretações revolucionárias e evolutivas da história da tecnologia e veremos como essas posições não são mutuamente incompatíveis; na segunda parte, reconstruiremos a tipologia proposta por Serres em seu esforço para caracterizar o desenvolvimento tecnológico através de um modelo que supera a dicotomia revolução / evolução; Finalmente, mostraremos como essas diferentes abordagens da história da tecnologia podem influenciar a formulação de teorias de mudança tecnológica.

Image result for educação e tecnologia

Revolução e evolução na história da tecnologia

As origens da história da técnica como subárea da pesquisa histórica são muito recentes. Embora houvesse algumas incursões solitárias no assunto durante o século XIX, somente até 1935 “os Anais de M. Bloch e L. Febvre, dedicando um número inteiro à história das técnicas, evidenciaram o grande interesse que deveria ser dado” 3. Nessas mesmas datas, Lewis Mumford publicou seu trabalho pioneiro, Technique and Civilization, no qual realiza um exercício ambicioso de reconstrução e periodização das técnicas que cobrem os últimos mil anos. Esses marcos, apesar de sua natureza incipiente, têm o mérito de ter despertado o interesse dos pesquisadores pelo assunto. Desde então, o volume de produção acadêmica relacionada à história da técnica não parou de crescer, a tal ponto que a literatura a esse respeito se tornou inatingível. Por esse motivo, nesta seção, nos limitamos a apresentar formulações específicas das duas orientações interpretativas que estamos interessados ​​em contrastar.

A interpretação dominante da história da técnica, amplamente disseminada por enciclopédias e manuais, geralmente articula sua descrição do desenvolvimento tecnológico em torno de três ou quatro fases revolucionárias separadas uma da outra por períodos de estabilidade mais ou menos prolongados tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado. Nesse sentido, o termo revoluções tecnológicas é usado para se referir a momentos privilegiados da história, nos quais a capacidade técnica da humanidade experimenta saltos qualitativos cruciais, que por sua vez provocam alterações significativas no curso da civilização. De acordo com essa abordagem, as mudanças geradas por uma revolução tecnológica levam a humanidade a um novo nível de progresso associado a uma melhoria geral na qualidade de vida das pessoas.

Image result for educação e tecnologia

Uma versão clássica deste modelo é encontrada no trabalho de V. Gordon Childe4. Em sua reconstrução das origens da civilização, este autor identifica duas grandes revoluções tecnológicas localizadas na fronteira entre a pré-história e a história escrita: a revolução neolítica e a revolução urbana. No primeiro, e como conseqüência do desenvolvimento da produção de alimentos, o ser humano é emancipado do status de caçador-coletor e leva a transição da vida nômade para a vida sedentária. No segundo, graças ao desenvolvimento das primeiras formas de escrita e registro, bem como à formação das cidades, o ser humano dá um passo da pré-história à história escrita e estabelece bases duradouras para o processo de civilização. Apesar de suas diferenças, esses dois momentos do passado têm características em comum. Por um lado, esses são elos cruciais no esforço dos seres humanos para controlar e transformar a natureza de acordo com suas necessidades e desejos; por outro, são desenvolvimentos que possibilitam um rápido crescimento da população humana e induzem um maior nível de complexidade nas instituições sociais.

Gordon Childe, na busca de um procedimento objetivo para medir o progresso, propõe um critério quantitativo segundo o qual uma revolução tecnológica é sinônimo de desenvolvimento progressivo, desde que seu efeito líquido se traduza em um aumento significativo no tamanho da população. A transição do Paleolítico para o Neolítico significou um passo adiante no caminho do progresso, porque o desenvolvimento da produção de alimentos permitiu sustentar uma população pelo menos dez vezes maior do que aquela que caracterizava os grupos nômades de caçadores-coletores. Reivindicações semelhantes tcc, monografias, monografias prontas, dissertação de mestrado e tese de doutorado, embora baseadas em figuras e proporções muito diferentes, se encaixam nos casos da revolução urbana e, mais recentemente, da revolução industrial, que pode ser considerada bem-sucedida na medida em que “eles facilitaram a sobrevivência e a multiplicação das espécies. ” Esse critério de progresso funciona, segundo Gordon Childe, como um indicador verificável de que ocorreu uma revolução tecnológica. Para este autor, uma revolução tecnológica é revelada “de maneira semelhante à da Revolução Industrial: por uma mudança de direção, para cima, da curva populacional” 5.

Esse critério, influenciado pela teoria malthusiana da população, tem a desvantagem de ter sido superado pela história. Nem Malthus nem Gordon Childe podiam prever, na época, a invenção de métodos contraceptivos amplamente utilizados hoje, como a pílula ou o preservativo, e menos a evolução cultural que modificaria as tendências demográficas de muitos países na segunda metade do século XX. Por esse motivo, um critério baseado em considerações sobre o aumento do tamanho da população nos coloca em dificuldades ao definir se a recente revolução dos computadores se qualifica como uma revolução tecnológica, dado que seu desenvolvimento foi impulsionado por países nos quais os O tamanho da população já entrou ou está prestes a entrar em uma fase estacionária, quando não está diminuindo. Além disso, os métodos contraceptivos modernos podem ser vistos como um efeito indireto da própria revolução industrial, cuja onda de choque continua gravitando poderosamente na dinâmica do mundo contemporâneo. Por outro lado, como Huxley já sentiu em seu romance Admirável Mundo Novo, o desenvolvimento da biotecnologia abre as portas de uma revolução tecnológica que pode levar à disseminação de técnicas ainda mais eficazes para o controle populacional.

Existem variantes do modelo revolucionário que estabelecem um critério diferente para periodizar a história da técnica. Um dos mais conhecidos é o de Mumford, que concentra sua atenção nos recursos, materiais e formas de geração de energia dominantes em diferentes momentos da história. O uso já consagrou na prática o uso de nomes de matérias-primas para caracterizar fases específicas da pré-história e história; É por isso que falamos sobre a Idade da Pedra, Bronze, Ferro, Carvão ou Silício. Do mesmo modo, este autor distingue três fases principais da história da técnica: “Nos expressando em termos de energia e materiais característicos, a fase eotécnica é um complexo de água e madeira, a fase paleotécnica um complexo de carvão e ferro, a fase neotécnica uma eletricidade e uma liga complexas … Cada período da civilização traz consigo o desperdício insignificante de tecnologias passadas e o importante germe de novas: mas o centro de seu desenvolvimento está dentro de seu próprio complexo ”6.

Assim formulado, o critério é impreciso porque não permite traçar claramente os limites entre uma fase e outra (dados históricos mostram exemplos abundantes de sobreposições e emaranhados entre diferentes períodos); No entanto, destaca o fato de que uma mudança tecnológica reside não apenas na invenção de novas máquinas e ferramentas, mas também na maneira como elas são inseridas como partes dentro de um complexo que envolve a operação dos diferentes subsistemas sociais. A idéia de um “complexo” técnico proposto por Mumford ajuda a evitar os perigos de colocar ênfase excessiva na inovação técnica considerada isoladamente e nos obriga a pensar na articulação das inovações com o sistema social e o meio ambiente.

Esse tipo de reconstrução, em que a história da tecnologia aparece como um processo marcado por alterações decisivas com amplos efeitos sociais, permanece totalmente válido hoje, independentemente de se considerar que as alterações são devidas a invenções específicas, passos de uma material a outro ou a mudanças nas formas de obtenção e uso de energia. A idéia de revolução tecnológica é freqüentemente usada para se referir não apenas a transformações maciças como as associadas à revolução neolítica ou industrial, mas também para descrever mudanças provocadas por invenções tecnológicas específicas em áreas específicas da atividade humana. Fala-se, portanto, da revolução desencadeada pelo barco a vapor nas técnicas de navegação, da comoção que a introdução da roda envolveu nas técnicas de guerra, transporte e comunicação ou das mudanças desencadeadas pela imprensa na imprensa. métodos de registro, reprodução cultural e transmissão de informações. De fato, a maioria dos trabalhos combina periodização baseada em fases de mudança revolucionária com uma descrição mais ou menos detalhada dos choques – ou, se preferir, revoluções em pequena escala – desencadeada por desenvolvimentos técnicos específicos7. Desse modo, a história da tecnologia geralmente assume a forma de uma conta cronologicamente ordenada, na qual as invenções aparecem uma após a outra acompanhadas de uma descrição dos efeitos sociais mais notáveis ​​causados ​​por sua disseminação.

No entanto, alguns autores se afastaram desse modelo explicativo. George Basalla, por exemplo, afirma que, para o propósito de escrever a história da técnica, é mais pertinente apelar ao conceito de evolução do que o de revolução. Segundo Basalla, as idéias de “revolução” e “evolução” são metáforas (uma do campo da política e outra da biologia) através das quais a história da tecnologia pode ser interpretada8. Basalla reconhece o domínio tradicional da metáfora revolucionária; No entanto, na sua opinião, a metáfora evolucionária é mais útil e conveniente como ferramenta descritiva. O modelo evolutivo resultante dessa mudança de perspectiva sublinha a continuidade e a gradualidade da mudança tecnológica.

Para entender essa virada, vale lembrar que a interpretação do mundo biológico e do mundo técnico muitas vezes emprestou seus modelos explicativos. No Renascimento, era comum interpretar a vida em termos mecânicos. Rossi, entre outros, mostrou como naquela época os produtos da arte e da inventividade humana, isto é, máquinas, serviam “como um modelo para conceber e entender a natureza”. Não é que a arte em si fosse a natureza, mas essa natureza “é algo como um produto da arte. Para entender o funcionamento do corpo humano, a máquina também é usada ”9. Descartes, no Tratado do Homem, comparou músculos e tendões humanos com molas e o funcionamento do corpo com os movimentos de um relógio ou de um moinho; Boyle, por outro lado, considerava o universo “uma grande peça de relógio”. No entanto, a partir das obras de Darwin, a interpretação do mundo técnico-mecânico em termos biológicos tornou-se popular. O escritor vitoriano Samuel Butler, em “O Livro das Máquinas” – publicado como parte de sua sátira utópica Erewhon ou sobre a cordilheira – apresentou a idéia de que as máquinas de seu tempo não passavam de elos primitivos em uma cadeia evolutiva o que produziria tipos cada vez mais aperfeiçoados no futuro: “Provavelmente não existe uma máquina conhecida que não seja um protótipo da vida mecânica futura. As máquinas de hoje são para o futuro o que os primeiros saurios para o homem. O maior deles certamente diminuirá bastante em relação ao tamanho atual. Alguns dos vertebrados inferiores alcançaram uma corpulência muito maior do que os seus descendentes atuais herdaram, ao invés disso dotados de organismos superiores; Da mesma forma, uma diminuição no tamanho das máquinas seguiu, com bastante frequência, uma marcha paralela ao seu desenvolvimento e progresso.